Tendinite dos adutores da coxa: o que é, causas, sintomas, diagnóstico e tratamento.

Os músculos adutores, localizados na parte interna da coxa, têm a função de fazer a adução do quadril, ou seja, o movimento de fechamento das pernas.

Junto aos ísquios tibiais são os principais responsáveis pelo movimento da pélvis e têm a função de estabilização do quadril durante uma corrida, um jogo de futebol ou qualquer esporte que exija mudanças de direção.

A tendionopatia dos adutores da coxa é uma lesão de sobre uso causada por pequenas lesões, também conhecidas como microruturas, associadas ao uso excessivo do tendão. Em outras palavras, não dado o tempo de recuperação suficiente depois de cada microrutura, o tendão não se restabelece na totalidade e, ao longo do tempo, os danos vão se acumulando, podendo resultar na tendinopatia dos adutores da coxa.

CAUSAS

A causa da tendinite dos adutores da coxa é o sobre uso dos tendões. Ainda que qualquer pessoa possa desenvolver uma tendinite, existem alguns fatores de risco, conforme descritos abaixo:
 

• Falta de aquecimento;
• Mal funcionamento biomecânico da estrutura pélvica;

• Abertura extrema da perna (por alongar e estirar a musculatura/tendão);
• Movimento brusco durante a largada de uma corrida;

• Treino excessivo (esforço em demasia);
• Aumento repentino da carga do treino.

SINAIS E SINTOMAS

‣  Dor na virilha que pode “irradiar" para a perna (conhecida como a famosa fisgada na virilha);

‣  Dor no movimento de adução;

‣  Dor à palpação próxima a pélvis;

‣  Dificuldade de correr, principalmente quando é necessário mudar de direção na corrida.

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico deve ser feito por um médico especialista (Ortopedista) e inclui análise da história clínica do paciente e exame físico da anca, sínfise púbica e coxa. Exames de imagem podem ser solicitados para confirmar o diagnóstico e avaliar a gravidade da lesão. Dentre eles, os mais comuns para esse fim são o raio-x e a ecografia.

TRATAMENTO

O tratamento da tendinite dos adutores da coxa depende do grau da lesão. Nos estágios iniciais, pode ser tratada com controle das cargas nas atividades físicas, gelo, medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios e fisioterapia. Em casos mais avançados, na falha do tratamento conservador, o médico pode recomendar o tratamento cirúrgico, o que é raro.

Fisioterapia:

O tratamento fisioterapêutico envolve:
- Melhora da mobilidade da articulação;
- Exercícios de fortalecimento muscular progressivo dos adutores e dos músculos sinergistas (que auxiliam os adutores) como os flexores e extensores do quadril;

- Aplicação de gelo no final dos exercícios.

 

Tratamento cirúrgico:
Consiste na remoção da área afetada do tendão.

VENHA NOS CONHECER

Avenida Angélica, 916 - cj. 608 - SP

CEP 01227-000

Agende já sua consulta

(11) 2501-1943 (tel)

(11) 94370-7156 (whatsapp)

CONTATOS

Tel: (11) 2501-1943 / (11) 94370-7156

E-mail: contato@isonanten.com

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon