Fratura por estresse: causas, sintomas, diagnóstico e tratamento.

Ocorre quando o osso é submetido a uma carga excessiva e não suporta tamanha pressão. A sobrecarga e o aumento do impacto fragilizam o osso a ponto de fazê-lo trincar e quebrar.

 

É definida como o desgaste ósseo que ocorre devido à sobrecarga e exercícios repetitivos de grande intensidade e representa 10% de todas as fraturas esportivas.

 

Embora as fraturas por estresse possam acometer todo o tipo de osso, elas são mais comuns em ossos que suportam o peso corporal, especialmente os membros inferiores. Estudos com corredores revelam maior incidência de fraturas por estresse na tíbia, seguida dos metatarsos, fíbula, fêmur e navicular.

*Crédito: Erika Onodera

CAUSAS

A fadiga e o desequilíbrio muscular são os principais responsáveis por esse tipo de fratura, pois a redução da absorção do impacto pelo osso, devido à fraqueza muscular ou a falha na absorção, gera um aumento de estresse em pontos focais e, se não corrigido a tempo, pode levar à fratura do osso.

 - Fraqueza muscular: se o músculo não tiver capacidade de absorver o impacto, a energia fica retida nos ossos, que pedem a capacidade de impulsionar o corpo;

- Erros de treinamento, tais como: a progressão rápida do treino, volume (correr mais de 32km/semana), aumento súbito da intensidade do exercício, calçado desgastado, entre outros;

- Peso: o sobrepeso pode sobrecarregar a estrutura óssea;

- Variáveis genéticas;

- Alterações endócrinas e metabólicas;

- Problemas hormonais;

- Predisposição genética.

 

 

SINTOMAS

  • Dor local que aumenta durante a prática esportiva e tende a melhorar com o repouso;

  • Edema após esforço físico, sem história de trauma;

  • Queda de desempenho nos treinamentos.

 

 

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico deve ser feito por um médico ortopedista, e é composto pelo investigação dos fatores de risco (treino e composição corporal), pelas características da dor e pelo exame físico (palpação no local). A confirmação do diagnóstico é feita por exames de imagem, entre eles, a radiografia, ressonância magnética e cintilografia óssea.

 

 

TRATAMENTO

O tratamento, na maioria dos casos é conservador. Em geral, acaba-se recomendando uma mudança temporária do tipo de atividade, diminuindo o impacto, o uso de analgésicos e anti-inflamatórios, fisioterapia e, dependendo da localização, imobilização da parte do corpo acometida pela fratura.

 

O tratamento fisioterapêutico para esse tipo de lesão tem como objetivo acelerar a diminuição do edema ósseo e reequilibrar a musculatura pra tirar o efeito causador da lesão.

 

Se não houver boa evolução, o tratamento cirúrgico com fixação da fratura com parafuso ou haste é indicado.

VENHA NOS CONHECER

Avenida Angélica, 916 - cj. 608 - SP

CEP 01227-000

Agende já sua consulta

(11) 2501-1943 (tel)

(11) 94370-7156 (whatsapp)

CONTATOS

Tel: (11) 2501-1943 / (11) 94370-7156

E-mail: contato@isonanten.com

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon